"O Rio de Janeiro continua lindo!"

"O Rio de Janeiro continua lindo!"
Photography by:S,OLIVEIRA

"Eis que vos anuncio uma grande alegria". (Lc 2,10)


segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

PSICOPEDAGOGIA E PROCESSO DE ALFABETIZAÇÃO

(Autoria: SABRINA GUEDES DE OLIVEIRA)


A alfabetização tem sido um tema bastante discutido pelos que se preocupam com a educação. Primordialmente, a alfabetização é a aprendizagem da leitura e da escrita, e isto é um processo fundamental para o desenvolvimento integral do indivíduo.

O aprendizado da leitura e da escrita depende, fundamentalmente, de condições sociais propícias. Muitas crianças, desde pequenas, têm a oportunidade de interagir com textos escritos, assim como com pessoas que lêem e escrevem. Situações deste tipo podem propiciar a descoberta e a compreensão das funções e usos que as pessoas fazem da linguagem escrita. Quanto mais intenso for este tipo de interação, maiores oportunidades as crianças terão para ir construindo conhecimentos diversificados a respeito dos atos de ler e escrever. Tais conhecimentos permitem a construção de hipóteses a respeito de ler e escrever.

É de fundamental importância conhecer como acontece o processo de aquisição da leitura e da escrita e o envolvimento das demais áreas que contribuem com suas pesquisas à compreensão desse processo. Uma dessas áreas é a Psicopedagogia.
Se uma criança não consegue aprender é preciso que haja uma investigação para acurada por parte do profissional que tem as características indispensáveis para execução de tal procedimento – o psicopedagogo (profissional interdisciplinar).

Nem a criança, nem o professor poderão ser sumariamente responsabilizados pela não aprendizagem, pelo analfabetismo, pois atualmente temos a consciência bastante clara dos inúmeros fatores, de diversas instâncias que poderão bloquear o processo ensino-aprendizagem. Para que ocorra a alfabetização e o domínio da leitura e da escrita é muito importante a intervenção pedagógica intencional. Sob esse ponto de vista, a capacidade de aprendizagem está determinada pelo grau de mediação que uma pessoa tenha recebido, em suas experiências de aprendizagem.

Diante desta múltipla faceta, ante um conjunto de complicações enfrentadas por professores e alunos, o psicopedagogo é o “multiprofissional” com capacidade de auxiliar todo o trabalho pedagógico, por meio de sua eficaz intervenção psicopedagógica (o jogo pode ser usado para dinamizar a ação). O profissional da Psicopedagogia com um estudo específico e peculiar a sua área de atuação, tem a possibilidade de criar condições para uma melhor aprendizagem. Seu trabalho fornece subsídios para um alcance maior da compreensão, investigação, assessoramento e planejamento no que diz respeito às dificuldades de aprendizagem.

A Psicopedagogia também permite aos profissionais a análise do processo de aprendizagem do ponto de vista do sujeito que aprende e da instituição que ensina. Tem o desejo de conhecer mais sobre o outro para poder ajudá-lo a vencer suas dificuldades, superar seus problemas de aprendizagem e compreender os elementos que interferem nesse processo, em busca da autoria de pensamento.

A busca do autoconhecimento, a busca da autonomia, permeada pela dimensão social e a dimensão pessoal, aliadas ao desenvolvimento global explicam a importância crescente da Psicopedagogia.

Contribuir para o crescimento dos processos da aprendizagem e auxiliar no que diz respeito a qualquer dificuldade em relação ao rendimento escolar, também são do âmbito da Psicopedagogia, bem como de educadores em geral. Ter conhecimento de como o aluno constrói seu conhecimento, compreender as dimensões das relações com a escola, com os professores, com o conteúdo e relacioná-los aos aspectos afetivos e cognitivos, permite uma atuação mais segura e eficiente.

Ter um olhar psicopedagógico de um processo de aprendizagem é buscar compreender como os elementos do seu sistema cognitivo e emocional são utilizados para aprender. É também buscar compreender a relação do aluno com o conhecimento, a qual é permeada pela figura do professor e pela escola.

Através dos conhecimentos veiculados pela Psicopedagogia, acredito que possamos ressignificar as dificuldades de aprendizagem no processo de aquisição da linguagem escrita.

BIBLIOGRAFIA

FERREIRA, Márcia. Ação psicopedagógica na sala de aula – uma questão de inclusão. 3 ed., São Paulo: Paulus, 2002.

FREIRE, Ana Maria Araújo. Analfabetismo no Brasil. 2.ed.,São Paulo: Cortez, 1993.

Um comentário:

  1. Oi, Sabrina,
    Parabéns pelas suas palavras. Precisamos valorizar mais os professores, afinal de contas o que seria de nós mesmas se não existisse esses seres tão especiais? Temos que nos dar conta da nossa função social, sem esquecer do amor ao próximo. Beijos.

    ResponderExcluir